Sente(te)

December 18, 2019

 

A palavra chinês para "crise" é constituída por dois caracteres, 危機 , que representam o "risco" e a "oportunidade"!

 

Sentirmos que estamos a atravessar uma crise pode trazer muita dor e confusão.

 

Se estás a atravessar uma “crise”, procura qual é a oportunidade que ela tem para te oferecer. Olha para os acontecimentos da tua vida, não como erros mas sim como aprendizagens valiosas.

 

Uma “crise” abana as estruturas, ela não é meiga nem vem para trazer-nos tranquilidade. Ela (re)lembra-nos de que tudo é impermanente. Faz-nos compreender a impermanência de algo que julgámos que duraria para sempre: uma crença, um emprego, um ideal de vida, um relacionamento, um projeto...

 

A crise permite-nos tomar consciência de como a nossa mente humana é limitada, pois, perante uma crise, não conseguimos abarcar o verdadeiro propósito de tudo o que nos está a acontecer.

 

É que a mente não te dá as respostas quando estás a atravessar uma crise. Tens de sentir. E ser consciente é sentir.

 

Então, aceita a crise quando ela chegar, não fujas de ti mesmo. Mergulha nessa intensidade, nessa dor, nessa confusão e procura o espaço dentro de ti para lá da mente que te escraviza.

 

Sente tudo no corpo. Aceita. Confia. E entrega. Permanece nesse espaço como nunca o fizeste, e ao fazê-lo estarás a respeitar-te e a amar-te. Aceita um a um: padrões, fobias, medos, comportamentos e pensamentos tóxicos que te deixam doente.

 

Aceita também que estás viciado numa guerra muito antiga que está dentro de ti, sendo que muitas batalhas que travas nessa guerra não são tuas, são dos teus ancestrais e são também da estrutura social em que te inseres. Viciado e adormecido não consegues acordar. Acorda, desintoxica. Sente(te).

 

Deixa morrer o velho para que o novo possa nascer. Respeita este ciclo vital de Vida, Morte, Vida e deixa-o atuar em níveis mais subtis, e confia. E deixa que todo este processo se vá desenrolando uma e outra vez, esvaziando, limpando.

 

Aos poucos começarás a ver para lá dos véus da tua confusão mental. Compreenderás que vives numa grande ilusão: o que parece afinal, não é, o que sentes é que é real e não o que pensas.

 

E saberás o que tens de deixar morrer, o que terás de desapegar, de transformar. Quando existe uma mudança de consciência, a perspetiva muda, o foco muda. Muda a estrutura. E porque muda tudo, permites enfim deixar morrer tudo o que te consome e te transforma num fantasma em vida.

 

Essa consciência traz-te a responsabilidade de honrares a vida que te deram e de fazeres algo de sagrado com ela. Imbuído nesse foco, nessa missão e nessa fé, naturalmente nasce em ti a capacidade de seres resiliente e de te transformares em tudo aquilo que tu já és e que ainda não sabias que eras.

 

A crise, quando profundamente acolhida e observada de um ponto superior de ti, é a oportunidade perfeita para que possas encarar tudo o que está a aniquilar a tua força e a tua criatividade, e a fazer-te viver muito aquém das tuas potencialidades.

 

A crise trar-te-á uma mudança de consciência, se tu te permitires sentir. E para isso, terás de sair da mente.

 

Se tens uma vida, vive-a! Por ti, por nós. Sim, por que tu és muito importante para a criação de um novo mundo. E se achas que não és importante é porque ainda não sabes quem és.

 

Sofia Pérez

Coaching, Hipnoterapia, Terapia individual e de casal, Constelações em Espelho, Xamanismo

Sessões em Lisboa, Oeiras e Abrantes.

Para marcação de sessões e mais informações:

coachsofiaperez@gmail.com

www.coachsofiaperez.com

Share on Facebook
Please reload

Recent Posts
Please reload